O pré-natal odontológico é parte fundamental da gravidez

O acompanhamento da saúde bucal da mulher grávida é parte importante do pré-natal durante a gestação, atenta o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP)

Durante a gravidez, o mais reiterado dos aconselhamentos é a realização do pré-natal, que consiste desde exames para detectar possíveis complicações até a rotina de uma alimentação segura para que o bebê venha a nascer no tempo certo e saudável. No entanto, os cuidados odontológicos costumam ser ignorados.

Existem estudos que reforçam a relação entre as doenças gengivais e o nascimento de bebês prematuros e abaixo do peso padrão. Ainda faltam pesquisas para garantir a totalidade deste fato, mas ainda assim, dados sugerem que os problemas bucais podem aumentar os fluidos biológicos estimulantes ao trabalho de parto.

A dor causada por alguns problemas como cárie ou periodontite, esta última uma inflamação na gengiva, pode aumentar a produção de adrenalina, influenciando a gestação. As grávidas estão mais propensas a sentir dores intensificadas, uma vez que o corpo responde de maneira exarcebada às inflamações.

Outra possível consequência é a diminuição do Ph (potencial hidrogeniônico) na boca da gestante, por conta de alterações hormonais e indisposições gástricas, como ânsia, azia e refluxo.

Também durante a gravidez, o nível de progesterona aumenta tornando a gengiva mais vascularizada e, portanto, mais sensível e com tendência ao sangramento.

Para evitar alguns desses problemas ou amenizá-los, o pré-natal odontológico é essencial. A função deste é, inclusive, detectar outros possíveis problemas precoces.

Como os três primeiros meses de gravidez são mais críticos e mais importantes para o desenvolvimento do feto, os especialistas da área de Odontologia recomendam que o acompanhamento comece logo cedo.

Caso seja uma gestão planejada, a mulher já deve banir todos os problemas bucais antes mesmo de engravidar.

Quanto ao bebê, mesmo após o nascimento, ainda sem a presença de dentes nos bebês, o pré-natal odontológico pode auxiliar nos cuidados da higiene bocal dos recém-nascidos.

Alerta

É possível que alguns exames, como a radiografia, não sejam realizados no primeiro trimestre. Às gestantes portadoras de doenças, entre elas pressão alta e diabetes, é recomendável que não passem por determinados tratamentos por conta de anestesia e algumas medicações, e se houver necessidade, que tenha o devido acompanhamento médico. Mas a maioria das análises não passa por restrições. O pré-natal odontológico deve ser acompanhado de bons hábitos bucais e alimentares.

Sobre o CROSP – O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) é uma autarquia federal dotada de personalidade jurídica e de direito público com a finalidade de fiscalizar e supervisionar a ética profissional em todo o Estado de São Paulo, cabendo-lhe zelar pelo perfeito desempenho ético da Odontologia e pelo prestígio e bom conceito da profissão e dos que a exercem legalmente. Hoje, o CROSP conta com 115 mil profissionais inscritos. Além dos cirurgiões-dentistas, o CROSP detém competência também para fiscalizar o exercício profissional e a conduta ética dos Técnicos em Prótese Dentária, Técnicos em Saúde Bucal, Auxiliares em Saúde Bucal e Auxiliares em Prótese Dentária. Mais informações: www.crosp.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *